Please use this identifier to cite or link to this item: https://repository.ufrpe.br/handle/123456789/655
Title: Caracterização isoenzimátrca e efeitos de fontes de carbono e nitrogênio na morfologia e fisiologia de espécies de Fusarium oxysporum
Authors: Gomes, Andréa Maria André
Rodrigues, Viviane Jurema L. B.
Silveira, Elineide Barbosa da
Assis, Tereza Cristina de
Oliveira, Sônia Maria Alves
Keywords: Fungos;Fungos na agricultura
Issue Date: 2001
Citation: GOMES, Andréa Maria André et al. Caracterização isoenzimátrca e efeitos de fontes de carbono e nitrogênio na morfologia e fisiologia de espécies de Fusarium oxysporum. Cadernos Ômega, Série Agronomia, Recife, n. 12, p.34-39, 2001.
Abstract: Estudou-se o efeito de fontes de carbono (C) (frutose, sacarose, glicerol e dextrose) e nitrogênio (N) (caseína, nitrato de cálcio, sulfato de amônio e peptona) em regime de luz contínuo a 25+/- 2°C, sobre a morfologia e fisiologia de um isolado de Fusarium oxysporum f.sp. cepae (FOC) e um de F. oxysporum f. sp. passiflorae (FOP). Foram analisadas as variáveis dimensão dos conídios, crescimento micelial, esporulação e peso seco. Também se realizou análise eletroforética nos padrões de esterase e proteínas totais. Os resultados mostraram semelhanças no fenótipo das colônias na maioria das interações entre as fontes de C e N utilizadas para ambos isolados. O melhor crescimento micelial ocorreu na interação onde o glicerol estava presente para os dois isolados. Não houve variação entre as fontes de C e N em relação a esporulação de FOP. Já para FOC a interação peptona x frutose destacou-se como a melhor combinação de C para este isolado. Os macroconídios de FOC apresentaram variação de 17,00 – 21,25 um x 3,19 – 6,19 um, e os microconídios de 6,19-8,00 um x 2,50-4,50 um e para o FOP, os macroconídios apresentaram dimensões de 14,50 – 19,37 um x 3,06 – 4,12 um, enquanto os microconídios variaram de 6,75-9,56 um x 2,31-2,94 um. A interação dextrose x nitrato de cálcio propiciou o maior peso seco de FOC, enquanto que para FOP não houve diferença significativa entre as fontes de C e N utilizadas. Na correlação dos padrões de esterase e proteínas totais, observou-se que o isolado FOP exibiu alta atividade protéica como esterásica em relação ao isolado FOC. No entanto, FOC apresentou maior número de bandas e mobilidade relativa ao FOP.
URI: https://repository.ufrpe.br/handle/123456789/655
Appears in Collections:n. 12, 2001 (Série Agronomia)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
OME_n12_2001_10.pdf435,6 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.