Please use this identifier to cite or link to this item: https://repository.ufrpe.br/handle/123456789/4730
Title: Regulação fisiológica da butirilcolinesterase através do uso de aditivos alimentares e sua aplicação em rações para camarão marinho
Authors: Souza, Douglas Lemos de
metadata.dc.contributor.authorLattes: http://lattes.cnpq.br/2715233041393261
metadata.dc.contributor.advisor: Santos, Juliana Ferreira dos
metadata.dc.contributor.advisorLattes: http://lattes.cnpq.br/6621907859216486
Keywords: Camarões;Litopenaeus vannamei;Rações;Aditivos;Inibidores enzimáticos
Issue Date: 19-Apr-2023
Citation: SOUZA, Douglas Lemos de. Regulação fisiológica da butirilcolinesterase através do uso de aditivos alimentares e sua aplicação em rações para camarão marinho. 2023. 33 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Engenharia de Pesca) - Departamento de Pesca e Aquicultura, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, 2023.
Abstract: Litopenaeus vannamei is the most cultivated crustacean species in the world, representing 51.7% of total production. In Brazil, the species leads the national shrimp farming earning about R$1.6 million. Seeking to optimize cultures, new methods of physiological regulation can generate important results. The investigation of the modulation of the action of enzymes in the endocrine/digestive systems is an alternative with the potential to obtain significant results. Recently, it was proposed that the enzyme butyrylcholinesterase (BChE) plays a role in the metabolism of ghrelin, known as the “hunger hormone” and may influence feed intake and productive performance. The present study aimed to investigate the in vitro effect of BChE inhibitors as a physiological tool using food additives and their application in marine shrimp diets. Juveniles of L. vannamei in the fattening phase (2g, 4g and 6g) were obtained from a local producer and enzyme activity tests were carried out in different tissues (eye, muscle and hepatopancreas) using the IC50 parameter (concentration that inhibits the enzymatic activity by 50%). Tests were carried out to evaluate the inhibitory effect of the following plants: arugula (Eruca sativa), Swiss chard (Beta vulgaris) and spinach (Spinacea oleracea). The best inhibition results were arugula IC50: 0.019μg/mL in 6g shrimp; chard IC50: 0.14μg/mL in 4g shrimp and spinach IC50: 0.20μg/mL in 4g shrimp, chard showed better results for use as an additive. The feed was processed, and inhibitor extracts were added to the feed, in different samples, using grain alcohol as an incorporating vehicle. The physical and bromatological evaluations were then conducted, in the physical tests the repelletized rations showed a difference only in apparent density, even the repelletized rations being denser the buoyancy was not affected, for the bromatological tests they only showed lower humidity, due to the time in the oven. It can be concluded that individuals of average weight (4 g) have greater BChE activity, suggesting that this phase is ideal for introducing feeds with BChE inhibitors and that the inclusion of additives in shrimp feed, using the repellent method, can be used without impairing the nutritional and physical quality of the feed.
Description: O Litopenaeus vannamei é a espécie de crustáceos mais cultivada no mundo, representa 51.7% da produção total. No Brasil a espécie lidera a carcinicultura nacional faturando cerca de R$1,6 milhão. Buscando otimizar os cultivos, novos métodos de regulação fisiológica podem gerar resultados importantes. A investigação da modulação da ação de enzimas dos sistemas endócrino/digestório é uma alternativa com potencial para obtenção de resultados significativos. Recentemente, foi proposto que a enzima butirilcolinesterase (BChE) tem um papel no metabolismo da grelina, conhecida como “hormônio da fome” podendo influenciar no consumo de ração e no desempenho produtivo. O presente estudo teve como objetivo investigar o efeito in vitro de inibidores da BChE como ferramenta fisiológica através do uso de aditivos alimentares e sua aplicação em rações para camarão marinho. Juvenis de L. vannamei em fase de engorda (2g, 4g e 6g) foram obtidos com produtor local e realizaram-se teste de atividade enzimatica em diferentes tecidos (olho, músculo e hepatopâncreas) utilizando como comparação o parâmetro IC50 (concentração que inibe a atividade enzimática em 50%). Testes foram feitos para avaliar o efeito inibitorio das plantas: rucula (Eruca sativa), acelga (Beta vulgaris) e espinafre (Spinacea oleracea). Os melhores resultados de inibição foram: rúcula IC50: 0,019μg/mL em camarões de 6g; acelga IC50: 0,14μg/mL em camarões de 4g e espinafre IC50: 0,20μg/mL em camarões de 4g, a acelga demonstrou melhores resultado para uso como aditivo. A ração foi processada e extratos inibidores foram acrescentados a ração, em amostras diferentes, com o uso de álcool de cereais como veículo incorporador. Conduziu-se então as avaliações físicas e bromatológicas, nos testes fisicos as rações repeletizadas apresentaram diferença apenas na densidade aparente, mesmo as rações repeletizadas sendo mais densas a flutuabilidade não foi afetada, para os testes bromatologicos apresentaram apenas menor umidade, devido ao tempo de estufa. Pode-se concluir que os indivíduos de peso médio (4 g) apresentam maior atividade BChE, sugerindo essa fase como a ideal para a introdução de rações com inibidores de BChE e que inclusão de aditivos na alimentação de camarões, pelo método de repeletização, pode ser utilizado sem prejudicar a qualidade nutricional e física da ração.
URI: https://repository.ufrpe.br/handle/123456789/4730
Appears in Collections:TCC - Engenharia de Pesca (Sede)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tcc_eso_douglaslemosdesouza.pdf1,03 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.