Please use this identifier to cite or link to this item: https://repository.ufrpe.br/handle/123456789/4031
Title: Caracterização espacial dos fragmentos florestais em Recife/PE
Authors: Fernandes, Carolina Rovira Pereira
metadata.dc.contributor.authorLattes: http://lattes.cnpq.br/1250249475932403
metadata.dc.contributor.advisor: Lima Neto, Everaldo Marques de
metadata.dc.contributor.advisorLattes: http://lattes.cnpq.br/6791561445213969
metadata.dc.contributor.advisor-co: Silva, Marcos Francisco de Araújo
metadata.dc.contributor.advisor-coLattes: http://lattes.cnpq.br/8412606118873368
Keywords: Ecologia das paisagens;Paisagem urbana;Fragmentos florestais
Issue Date: 5-Nov-2020
Citation: FERNANDES, Carolina Rovira Pereira. Caracterização espacial dos fragmentos florestais em Recife/PE. 2020. 46 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Engenharia Florestal) - Departamento de Ciência Florestal, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, 2020.
Abstract: The growth of cities and the consequent increase in the population density bring forth changes in the natural environment reflected directly into the urban landscape. The existence of fragments of natural habitats in cities reverberates positively both in human life and in preserving ecosystems. Thereby, Landscape Ecology and its metrics aim to analyze spatial structures to understand potential dynamics and landscape structures, subsidizing urban planning and development. This way, this work aims to characterize the spatial distribution of forest fragments and their preservation and ecological relations in Recife-PE, Brazil. The land cover classification, performed from photointerpretation, was obtained from the Recife City Hall database, from the 2013 orthophoto map. The land cover classification went through analysis, reaching an accuracy of 0,88 according to the Kappa index's determination. All the forest features with at least 15m width and length were considered fragments. The fragments were divided into size classes <0,1ha; 0,1 to 1ha, 1,01 to 10ha; 10,01 to 100ha and >100ha. The total area metrics, number, median and average size of the patches were analyzed with the Patch Analyst extension for ArcGIS. It was also analyzed the fragment area by political-administrative regions (RPA) to identify the RPA's with the lower tree covering, and the edge effect's spatial influence from every 10 meters of 20 to 100m of the border was also analyzed. Besides, the proximity index between fragments went through analysis with the V-LATE extension and the relations of the size classes of the fragments with the Recife City Conservation Units with the tool Near Table. Recife showed 39,58% of its area covered with forestry fragments, in which 6,50% are smaller than 1ha, while the class >100ha contains 74,37% of the fragments' area. The three first classes suffer approximately 70% of influence from the edge effect by 20m, and the class >100ha maintains itself 43,75% without being affected by 100m. The proximity indexes determine that Recife's vegetation, in general, is connected, with few fragments in total isolation. However, there are some RPA with trees covering lower than 30%. The incidence of forest fragments in Conservation Units (UC) grows gradually together with the size classes, so that all the fragments with more than 100ha are located in UC or are directly connected to them. It was noticed three significant areas that are not included in UC and should receive government attention and that tiny fragments should be expanded to improve the connection and establishment of species. The RPA 01, 02 and 06 should receive more attention in this process, seeing that they do not have the proper tree covering.
Description: O crescimento das cidades e o consequente aumento da densidade populacional geram alterações no meio ambiente natural, reduzindo a vegetação natural e refletindo na paisagem urbana. A existência de fragmentos ou habitats naturais em cidades repercute positivamente tanto na vida humana, quanto na preservação de ecossistemas. Assim, a ecologia de paisagem e suas métricas buscam analisar a estrutura espacial para entender possíveis dinâmicas e estruturas da paisagem, subsidiando o planejamento e desenvolvimento urbano. Desta forma, o objetivo do trabalho foi caracterizar a distribuição espacial dos fragmentos florestais e suas relações ecológicas e de preservação no município do Recife. A cobertura da terra, realizada a partir de fotointerpretação, foi adquirida da Prefeitura do Recife, proveniente da ortofotocarta de 2013. Esta foi analisada, obtendo acurácia por determinação do índice de Kappa de 0,88. Todas as feições florestais com, no mínimo, 15m de largura e comprimento foram consideradas fragmentos, os quais foram divididos em classes de tamanho < 0,1ha, 0,1 a 1ha, 1,01 a 10ha, 10,01 a 100ha e maior que 100ha. Para estas, foram analisadas com a extensão Patch Analyst para ArcGIS as métricas de área total, número, tamanho médio e mediano das manchas. Foi avaliada a área dos fragmentos por Região Político-Administrativa (RPA), para identificação das RPA com menor cobertura arbórea. Também foi avaliada a influência espacial do efeito de borda a cada 10 metros de 20 a 100m de borda. Além disso, foram avaliados os índices de proximidade entre fragmentos com a extensão V-LATE e a relação das classes de tamanho dos fragmentos com as Unidades de Conservação do Recife com a ferramenta Near Table. Recife apresentou 39,58% de sua área coberta por fragmentos florestais, destes 6,50% são menores que 1ha, enquanto a classe >100ha contém 74,37% da área dos fragmentos. As três primeiras classes sofrem aproximadamente 70% de influência do efeito de borda a 20m e a classe >100ha se mantém 43,75% sem ser afetada a 100m. Os índices de proximidade determinaram que, apesar de haver algumas RPA com índice de cobertura arbórea abaixo de 30% e uma lacuna na cobertura arbórea nas áreas centrais do município, a vegetação de Recife, no geral, se encontra conectada, com poucos fragmentos em isolamento total. A incidência dos fragmentos em Unidades de Conservação (UC) aumenta gradativamente junto às classes de tamanho, de forma que todos os fragmentos com mais de 100ha estão em UC ou estão diretamente ligados a elas. Notaram-se três grandes áreas que não estão englobadas por UC, onde se sugere atenção, e pequenos fragmentos que devem ser expandidos no município para maior conexão e estabelecimento de espécies. É importante que as RPA 01, 02 e 06 recebam maior atenção nesse processo, visto que estão sem cobertura florestal adequada.
URI: https://repository.ufrpe.br/handle/123456789/4031
Appears in Collections:TCC - Engenharia Florestal (Sede)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tcc_carolinarovirapereirafernandes.pdf2,17 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.