Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/123456789/2482
Título: Desempenho agronômico de clones de palma forrageira em consórcio com pornunça
Autor: Moura, Edvaldo Alves de
Endereco Lattes do autor: http://lattes.cnpq.br/2567485677684755
Orientador: Leite, Maurício Luiz de Mello Vieira
Endereco Lattes do orientador : http://lattes.cnpq.br/4204641633941814
Palavras-chave: Palma forrageira;Agricultura de regiões áridas;Plantas - Efeito da seca
Data do documento: 2019
Citação: MOURA, Edvaldo Alves de. Desempenho agronômico de clones de palma forrageira em consórcio com pornunça. 2019. 64 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Agronomia) – Unidade Acadêmica de Serra Talhada, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Serra Talhada, 2019.
Resumo: A intensificação das constituintes meteorológicas, tem contribuído gradativamente para a dificuldade ou mesmo para a perda do potencial de produção dos sistemas agrícolas presentes nas regiões Semiáridas. Nessa perspectiva é de grande importância buscar culturas que possam suprir o déficit de forragem e que apresentem um menor requerimento hídrico possível. Desta forma objetivou-se avaliar o desempenho agronômico de dois clones de palma forrageira em monocultivo e consorciados com a pornunça. O ensaio do consórcio foi conduzido na Universidade Federal Rural de Pernambuco, Unidade Acadêmica de Serra Talhada - PE, com delineamento em blocos ao acaso, no esquema fatorial 2x2, palma Doce Miúda em cultivo exclusivo (solteira), palma Orelha de Elefante solteira, palma Doce Miúda em consórcio com pornunça e palma Orelha de Elefante consorciada com pornunça. A unidade experimental (área de 24,0 m2; 5,0 m x 4,8 m) foi composta por três fileiras de palma, com 25 plantas por fileira, perfazendo 75 plantas por unidade experimental, em sistema exclusivo e consorciados com pornunça. Desta forma as variáveis analisadas foram: plantas por parcela, altura de planta, número de cladódios, comprimento e largura de cladódio, espessura, massa verde e massa seca dos clones de palma estudados. Foi calculado ainda a eficiência da utilização da água da chuva e o acúmulo da água da chuva em função dos tratamentos, para análise de dados foram utilizadas as planilhas eletrônicas do Excel para tabulação e organização dos dados, e o software R - Project 2.15.1 para realização das análises estatísticas. O consórcio favorece, algumas variáveis de morfologia e estruturais da palma forrageira, principalmente, na associação de pornunça com a palma Miúda. Em sistema exclusivo o clone Doce Miúda produz a maior quantidade de matéria seca. O clone Orelha de Elefante Mexicana não apresenta variação em termos produtivos, quando submetido aos diferentes sistemas de cultivo (solteiro e em consórcio com pornunça).
URI: http://hdl.handle.net/123456789/2482
Aparece nas coleções:(UASTA) Trabalho de conclusão de curso

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tcc_edvaldoalvesdemoura.pdf1,31 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.