Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/123456789/2417
Título: Morfometria linear e geométrica do camarão Macrobrachium Jelskii (Miers, 1877) coletado no Rio São Francisco, no município de Itacuruba – PE
Autor: Souza, Daniel Victor da Silva
Endereco Lattes do autor: http://lattes.cnpq.br/7739502397733737
Orientador: Mendes, Renata Akemi Shinozaki
Endereco Lattes do orientador : http://lattes.cnpq.br/2026358226342858
Palavras-chave: Camarões (Animal);Camarões - Criação;Morfologia (Animais)
Data do documento: 2019
Citação: SOUZA, Daniel Victor da Silva. Morfometria linear e geométrica do camarão Macrobrachium Jelskii (Miers, 1877) coletado no Rio São Francisco, no município de Itacuruba – PE. 2019. 28 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Engenharia de Pesca) – Unidade Acadêmica de Serra Talhada, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Serra Talhada, 2019.
Abstract: The more than 200 species found are not Macrobrachium, a Macrobrachium jelskii (Miers, 1877) is one of 18 that can be found in Brazil. Known popularly as quiet shrimp, they are of great economic importance and are used as fishing and for the food of the riverside people. A technique used to improve the knowledge of the morphometric aspects of the species is used in geometric morphometry; by means of this it is possible to establish tactics for its handling and conservation. Thus, the studied shrimp were not presented in the municipality of Rio San Francisco, in the municipality of Itacuruba, in the semi-arid Pernambucano, in October 2018. After the establishment of a collection station, a sample collection was carried out with the aid of a hand. The compounds were removed in an ice cooler and taken to the Fisheries Biology Laboratory (LAPEq / UAST), with cephalothorax volume (total length (CT), length of cephalothorax (CC), and length of abdomen (CA); The photos were digitized in the TPSDig program, and the anatomical images were homologous in a standardized series and aligned in the MorphoJ program. The total length (CT) of the various sizes of 17 mm to 49 mm for a number of 13 mm to 56 mm for males. When comparing the linearity between CC x CT and CA x CT, a negative correlation was observed, showing negative (p>0.05), making that there was no sexual dimorphism in the relationships.A PCA analysis was published by 36.15% of the variation in the 1, 4 and 5 at the end of the face, and expanded 21.92% of variation, seen in frames 1, 2, 3, 6 and 7 at the extremity of the face, dorsal region and fr An analysis of variance was not possible to separate females and males (p = 0.2060).
Resumo: Das mais de 200 espécies encontradas no gênero Macrobrachium, a Macrobrachium jelskii (Miers, 1877) é uma das 18 que podem ser encontradas com abundância no Brasil. Conhecidos popularmente como camarão sossego, possuem grande importância econômica e são utilizados como isca para pesca e para a alimentação das populações ribeirinhas. Uma técnica utilizada para aprimorar o conhecimento dos aspectos morfométricos das espécies é utilização da morfometria geométrica; através disso é possível estabelecer táticas para seu manejo e conservação. Desta forma, os camarões estudados no presente estudo foram coletados no Rio São Francisco, no município de Itacuruba, semiárido Pernambucano, no mês de outubro de 2018. Após estabelecer a estação de coleta, foi realizada a coleta das amostras com o auxílio de um puçá e os espécimes foram colocados em um cooler com gelo e levados ao Laboratório de Biologia Pesqueira (LAPEq/UAST) onde foram identificados quanto à espécie e sexo, e foi feita a biometria das seguintes medidas: comprimento total (CT), comprimento do cefalotórax (CC), e comprimento do abdome (CA); a carapaça dos espécimes foi retirada e fotodocumentada utilizando uma câmera digital acoplada a um tripé. As fotos foram digitalizadas no programa TPSDig, e marcos anatômicos homólogos foram adicionados de forma padronizada e alinhados no programa MorphoJ. O comprimento total (CT) dos indivíduos variou de 17 mm a 49 mm para as fêmeas e de 13 mm a 56 mm para os machos. Quando analisada a relação linear entre CC x CT e CA x CT foi observada uma alometria negativa, demonstrando que não houve diferença estatística (p>0,05), indicando que não há dimorfismo sexual nestas relações. A análise de PCA explicou 36,15% da variação observada nos marcos 1, 4 e 5 na extremidade do rostro; e explicou 21,92% da variação, observada nos marcos 1, 2, 3, 6 e 7 na extremidade do rostro, região dorsal e frontal da carapaça. Na análise de variável canônica não foi possível separar as fêmeas e os machos (p=0,2060).
URI: http://hdl.handle.net/123456789/2417
Aparece nas coleções:(UASTEP) Trabalho de conclusão de curso

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tcc_danielvictordasilvasouza.pdf1,22 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.