Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/123456789/1796
Título: O impacto da quantidade de aulas de educação física na variabilidade da frequência cardíaca em adolescentes do sexo masculino: estudo transversal
Autor: Silva, Jéssika Karla Tavares do Nascimento Faustino da
Endereco Lattes do autor: http://lattes.cnpq.br/4758652186690018
Orientador: Farah, Breno Quintella
Endereco Lattes do orientador : http://lattes.cnpq.br/6914216878368661
Palavras-chave: Batimento cardíaco;Exercícios físicos - aspectos da saúde;Adolescentes (Meninos) - Fisiologia
Data do documento: 12-Dez-2019
Citação: SILVA, Jéssika Karla Tavares do Nascimento Faustino. O impacto da quantidade de aulas de educação física na variabilidade da frequência cardíaca em adolescentes do sexo masculino: estudo transversal. 2019. 48 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Educação Física) - Departamento de Educação Física, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, 2019.
Abstract: Heart rate variability (HRV) is a noninvasive and effective measure used to identify cardiovascular risk in several populations. Previous studies have shown a positive relationship between HRV and physical activity among adolescents, indicating that a higher habitual physical activity level is related with higher HRV, regardless of obesity and hypertension. However, no study analyzed the association between HRV and participation in physical education classes, environment with the possibility of physical activity practices. This research may strengthen the idea that school physical education contributes to improve the health of adolescents, especially males who are more exposed to cardiovascular risk than girls. Therefore, the present study aimed to investigate the impact of physical education classes on HRV parameters in male adolescents. The study included 1152 male adolescents (16.6 ± 1.2 years). Participation in physical education classes was evaluated, being divided into: 0 classes, 1 class and ≥2 classes; the parameters of HRV in the time domain (SDNN, RMSSD, pNN50) and frequency (BF, AF), arterial pressure and waist circumference of adolescents were also evaluated. A comparison of means with ANOVA was performed to analyze HRV parameters and physical education classes. There was no statistically significant difference regarding the number of physical education classes per week with the HRV parameters in the time domain: SDNN (0 classes = 62.5 ± 23.7; 1 class = 62.1 ± 23.9; ≥2 classes = 61.2 ± 23.1 [p = 0.77]); RMSSD (0 classes = 54.7 ± 28.9; 1 class = 53.8 ± 28.4; ≥2 classes = 55.3 ± 30.1 [p = 0.72]); PNN50 (0 classes = 29.3 ± 20.0; 1 class = 29.1 ± 20.1; ≥2 classes = 29.1 ± 20.1 [p = 0.83]); and in the frequency domain: BF (0 classes = 53.2 ± 16.0; 1 class = 53.3 ± 15.4; ≥2 classes = 52.3 ± 15.4 [p = 0.61]); PA (0 classes = 46.8 ± 16.0; 1 class = 46.8 ± 15.4; ≥2 classes = 47.7 ± 15.4 [p = 0.61]); and BF / AF (0 classes = 1.46 ± 1.1; 1 class = 1.46 ± 1.1; ≥2 classes = 1.40 ± 1.0 [p = 0.60]). It was concluded that physical education classes are not associated with HRV in male adolescents, showing little impact on the integrity of the Autonomic Nervous System, consequently on the cardiovascular health of adolescents.
Resumo: A variabilidade da frequência cardíaca (VFC) é uma medida não invasiva e eficaz utilizada para identificar risco cardiovascular em diferentes populações. Estudos têm apresentado relação positiva entre a VFC e atividade física entre os adolescentes, indicando que um maior nível de atividade física habitual está relacionado a maior VFC, independentemente da obesidade e da hipertensão arterial. No entanto, são desconhecidos estudos que analisaram o efeito da quantidade de aulas de educação física na VFC em adolescentes do sexo masculino. Essa investigação pode fortalecer a ideia que a educação física escolar contribua para melhorar a saúde dos adolescentes, sobretudo do sexo masculino que estão mais expostos ao risco cardiovascular do que as meninas. Portanto, o presente estudo teve como objetivo investigar o impacto das aulas de educação física nos parâmetros da VFC em adolescentes do sexo masculino. Participaram do estudo 1152 adolescentes do sexo masculino (16,6 ± 1,2 anos). Foram avaliados a participação nas aulas de educação física, sendo divididos em: 0 aulas, 1 aula e ≥2 aulas; os parâmetros da VFC no domínio de tempo (SDNN, RMSSD, pNN50) e de frequência (BF, AF), pressão arterial e circunferência abdominal dos adolescentes. Realizou-se uma comparação de médias com a ANOVA para analisar os parâmetros da VFC e as aulas de educação física. Não houve diferença estatisticamente significante em relação a quantidade de aulas de educação física por semana com os parâmetros da VFC no domínio de tempo: SDNN (0 aulas= 62,5 ± 23,7; 1 aula= 62,1 ± 23,9; ≥2 aulas= 61,2 ± 23,1 [p= 0,77]); RMSSD (0 aulas= 54,7 ± 28,9; 1 aula= 53,8 ± 28,4; ≥2 aulas= 55,3 ± 30,1 [p= 0,72]); PNN50 (0 aulas= 29,3 ± 20,0; 1 aula= 29,1 ± 20,1; ≥2 aulas= 29,1 ± 20,1 [p= 0,83]); e no domínio da frequência: BF (0 aulas= 53,2 ± 16,0; 1 aula= 53,3 ± 15,4; ≥2 aulas= 52,3 ± 15,4 [p= 0,61]); AF (0 aulas= 46,8 ± 16,0; 1 aula= 46,8 ± 15,4; ≥2 aulas= 47,7 ± 15,4 [p= 0,61]); e BF/AF (0 aulas= 1,46 ± 1,1; 1 aula= 1,46 ± 1,1; ≥2 aulas= 1,40 ± 1,0 [p= 0,60]). Concluiu-se que as aulas de educação física não têm impacto na VFC em adolescentes do sexo masculino, sugerindo que para um sistema nervoso autonômico mais íntegro, torna-se necessário a realização de atividade física além das aulas de educação física.
URI: http://hdl.handle.net/123456789/1796
Aparece nas coleções:(CDILEF) Trabalho de conclusão de curso

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tcc_jessikakarlatavaresdonascimentofaustinodasilva.pdf1,76 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.