Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/123456789/1771
Título: Análise do uso das unidades de conservação da cidade do Recife como espaço de educação não formal
Autor: Araújo, Natercia Corrêa de
Endereco Lattes do autor: http://lattes.cnpq.br/3775346494429223
Orientador: Gomes, Paula Braga
Endereco Lattes do orientador : http://lattes.cnpq.br/3289333472399959
Palavras-chave: Educação não-formal;Ciências (Ensino fundamental) - Estudo e ensino;Áreas de conservação de recursos naturais - Recife (PE)
Data do documento: 12-Jul-2019
Citação: ARAÚJO, Natercia Corrêa de. Análise do uso das unidades de conservação da cidade do Recife como espaço de educação não formal. 2019. 74 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Ciências Biológicas) - Departamento de Biologia, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, 2019.
Abstract: A non-formal education comes as a complement to a process greater than the formal education, where the individual must be oriented about life in society. The present work refers to analysis of the potentialities related to the use of the Conservation Units in Recife-PE, as possible environments for lessons on the public and private areas that can be spent in non-formal pedagogical activities with students of Elementary School. The spaces can be considered as alternative for teaching resources, allowing the student to experience the theoretical content together with practical practices. The characterization of these areas is an interaction of formal and non-formal education. The methodology was organized with qualitative data, based on documentary analysis, observation in loco, interviews and conversations. With the raised information, it was possible to structure a ranking based on data such as the possibility of access, security, infrastructure and the existence of didactic support in the place. After the information has been analyzed and updated, we have come to the result of choosing the Conservation Units, which are alternatives of pedagogical activities to be written in the visits to the loco areas, with the aim of integrating Conservation Units and teaching science in basic education.
Resumo: A educação não formal vem como complemento de um processo maior que é a educação formal, onde o indivíduo deve ter aprendizagem voltada para a vida em sociedade. O presente trabalho refere-se a uma análise das potencialidades de uso das Unidades de Conservação da cidade do Recife-PE como espaços para os professores de Ciências das redes públicas e privadas desenvolverem possíveis atividades pedagógicas de cunho não formal com alunos do Ensino Fundamental. Esses espaços podem ser considerados como recursos didáticos alternativos, permitindo ao aluno, vivenciar o conteúdo teórico com situações práticas. A caracterização desses espaços se configura como proposta de interação da educação formal e a não formal. A metodologia foi organizada em etapas. Inicialmente, foram avaliadas todas as unidades de conservação da cidade do Recife com princípios qualitativos, a partir de análise documental, observação In loco, entrevista e conversas. Com o conjunto de informações levantadas possibilitouse a estruturação de um ranking a partir de dados como possibilidade de acesso, segurança, infraestrutura e a existência de apoio didático no local. Posteriormente, com base nas informações analisadas e perfis traçados, foram escolhidas as quatro Unidades de Conservação com maior potencial para serem espaços de educação não formal. Para cada uma elaboramos alternativas de atividades pedagógicas que podem ser desenvolvidas nas visitas aos espaços, visando à ampliação da relação entre as Unidades de Conservação e o ensino de Ciências na educação básica.
URI: http://hdl.handle.net/123456789/1771
Aparece nas coleções:(CDILCB) Trabalho de conclusão de curso

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tcc_naterciacorreadearaujo.pdf1,21 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.