Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/123456789/1526
Title: Plantas nefrotóxicas para ruminantes no município de São João, Pernambuco
Authors: Fernandes Filho, Giovanne Tenório
metadata.dc.contributor.authorLattes: http://lattes.cnpq.br/8842666582875777
metadata.dc.contributor.advisor: Ramos, Taciana Rabelo Ramalho
metadata.dc.contributor.advisorLattes: http://lattes.cnpq.br/2578646566856035
Keywords: Ruminante;Plantas venenosas
Issue Date: 5-Feb-2019
Citation: FERNANDES FILHO, Giovanne Tenório. Plantas nefrotóxicas para ruminantes no município de São João, Pernambuco. 2019. 51 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Medicina Veterinária) – Unidade Acadêmica de Garanhuns, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Garanhuns, 2019.
Description: Por ser um país de grande extensão territorial e com grande número de bovinos criados em sistema extensivo, semi-intensivo e intensivo de produção, em pastagem nativas ou cultivadas, inúmeros são os casos de bovinos intoxicados devido a ingestão de plantas tóxicas. Se assumirmos que, no Brasil, a frequência de mortes decorrente a intoxicação por plantas tóxicas é similar à observada no Sul (10-14%), esse número pode variar entre 1.088.746 e 1.524.245 milhões de mortes por ano. Na região Nordeste do Brasil, existem relatos de ruminantes intoxicados por plantas nefrotóxicas, como Combretum glaucocarpa (sipaúba, vaqueta), Amaranthus spp. (bredo, bredo de porco, caruru) e Metternichia princeps (trombeteira, jasmim do morro). Devido esse histórico, o presente estudo foi realizado com o objetivo de identificar as plantas nefrotóxicas que ocorrem no município de São João-PE, avaliar a percepção dos produtores rurais a respeito das plantas nefrotóxicas, bem como, orientá-los e capacitá-los acerca dos fatores predisponentes para ocorrência de casos de intoxicação e formas de prevenção. Para tanto, no período de fevereiro a novembro de 2018 foram aplicados questionários semiestruturados junto a 98 produtores rurais do município em estudo para avaliação da percepção destes a respeito de plantas nefrotóxicas. Com base nos questionários, foi realizada a busca ativa em 61 propriedades, de acordo com disponibilidade e interesse dos produtores, para verificação da ocorrência e identificação de plantas nefrotóxicas nas pastagens e plantações. Por fim, realizadas as capacitações para que os produtores pudessem identifica as plantas nefrotóxicas em suas propriedades e prevenir a ocorrência de casos de intoxicação. Dos produtores entrevistados, 9,2% (9/98) relataram criar os animais (bovinos e ovinos) de forma intensiva, 68,4% (67/98) de forma semi-intensiva e 22,5% (22/98) de forma extensiva. Quanto a habilidade em reconhecer plantas tóxicas, 63,2%(62/98) afirmaram ter plantas tóxicas em sua propriedade. Nas buscas ativas realizadas em 86,9% (53/61) propriedades rurais, foi verificada a ocorrência de Amaranthus spp., em 3,9% (2/61) de Combretum glaucocarpum (Sipaúba) e em 11,76% (6/61) de Metternichia princeps (Trombeteira). Foi observado que nenhum dos produtores conheciam o potencial tóxico de Amaranthus spp. A ocorrência de plantas nefrotóxicas nas pastagens de propriedades rurais de São João-PE, possibilita a ocorrência de casos de ruminantes intoxicados por estas plantas e torna necessário a manutenção de trabalhos voltados para capacitação dos produtores, para que os permitam identificar essas plantas e atuarem preventivamente, evitando assim, prejuízos econômicos à pecuária.
URI: http://hdl.handle.net/123456789/1526
Appears in Collections:TCC - Bacharelado em Medicina Veterinária (UAG)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tcc_giovannetenóriofernandesfilho.pdf2,42 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.