Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/123456789/1515
Título: Juízes do sertão colonial: compondo espaços jurídicos na Capitania de Pernambuco, no séc. XVIII
Autor: Monteiro, Juliane Tavares
Endereco Lattes do autor: http://lattes.cnpq.br/0486050646053829
Orientador: Menezes, Jeannie da Silva
Endereco Lattes do orientador : http://lattes.cnpq.br/0863557395682263
Palavras-chave: Justiça - Pernambuco - História;Direito e antropologia - História;Pernambuco – História – Período colonial
Data do documento: 11-Jul-2019
Citação: MONTEIRO, Juliane Tavares. Juízes do sertão colonial: compondo espaços jurídicos na Capitania de Pernambuco, no séc. XVIII. 2019. 25 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em História) - Departamento de História, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, 2019.
Abstract: Historically, the hinterland was for a time seen as a place without justice. This study aims to discuss the backcountry judicial spaces from the performance of the agents of justice in that spatiality. Even with the lack of an institutional apparatus, it is possible to perceive the presence of the court. The hinterland maintained its own dynamics of justice, where the ordinary judge was one of its main exponents, a perspective still little addressed by historiography. The documentary collection used are administrative manuscripts, found in the Lisbon Overseas Historical Archive (Rescue Project), and in the Jordão Emerenciano Public Archive (APEJE), also printed sources from the Annals of the National Library of Rio de Janeiro. These sources help to establish the institutional presence of the ordinary judge in the interior of the Pernambuco Captaincy, as well as his social role in the 18th century in that spatiality.
Resumo: Por parte da historiografia, o sertão foi durante certo tempo visto como local desprovido de justiça. Este estudo se propõe a discutir os espaços judiciais sertanejos a partir da atuação dos agentes da justiça naquela espacialidade. Mesmo com a falta de um aparato institucional é possível perceber a presença do judicial. O sertão mantinha dinâmicas de justiça próprias, onde o juiz ordinário era um dos seus principais expoentes, uma perspectiva ainda pouco abordada pela historiografia. O acervo documental utilizado são manuscritos administrativos, encontradas no Arquivo Histórico Ultramarino de Lisboa (Projeto Resgate), e no Arquivo Público Jordão Emerenciano (APEJE), também fontes impressas dos Anais da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro. Estas fontes, auxiliam em constituir a presença institucional do juiz ordinário no sertão da Capitania de Pernambuco, bem como seu papel social no século XVIII naquela espacialidade.
URI: http://hdl.handle.net/123456789/1515
Aparece nas coleções:(CDILH) Trabalho de conclusão de curso

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tcc_art_julianetavaresmonteiro.pdf903,21 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.