Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/123456789/1002
Title: Violência e poder segundo o pensamento de Hannah Arendt
Authors: Alves, João José Angeiras
metadata.dc.contributor.authorLattes: http://lattes.cnpq.br/7427652257561128
metadata.dc.contributor.advisor: Sisnando, Alessandra Uchôa
metadata.dc.contributor.advisorLattes: http://lattes.cnpq.br/7688443951809284
Keywords: Burocracia;Violência;Poder (Ciências sociais)
Issue Date: 2019
Citation: ALVES, João José Angeiras. Violência e poder segundo o pensamento de Hannah Arendt. 2019. 50 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Ciências Sociais) - Departamento de Ciências Sociais, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, 2019.
Abstract: The paper aims to follow the way Hannah Arendt understands and discusses her thinking about Violence and Power and how these subjects differ from other authors of the social sciences and how some authors have an attraction for violence and encourage it, also using authors' views which have become classics as and how these studies aided understanding of how broad the subject is in the human sciences, perceive how the use of words can affect our understanding of the themes and their meaning about certain concepts, and understand how the sophistication of technoscience assists the increase of the means of violence. Science increases human power, but widens its defects, or arises from them, progress and genocide go hand in hand. Where pogroms were needed to eradicate an unwanted local population, a simple push of a button or turnkey can do the job, today's violence far outweighs what classic fiction writers thought, and the more shocking the improvement of murder removes the author from the act, reducing it to a mere bureaucratic event. Arendt's thinking goes the opposite way, it is a thought that broke the pre-established and embedded concepts in political thinking about power and violence and revitalized giving a completely different meaning and worthy of being deepened.
Description: O trabalho tem por objetivo acompanhar o modo como Hannah Arendt entende e dialoga seu pensamento sobre Violência e Poder e como esses assuntos diferem de outros autores das ciências sociais e como alguns autores tem uma atração pela violência e a incentivam, também utilizando a visão de autores que tornaram-se clássicos como e como esses estudos auxiliaram o entendimento de como o assunto é amplo nas ciências humanas, perceber como o uso das palavras pode afetar nosso entendimento sobre os temas e seu significado sobre determinados conceitos e entender como a sofisticação da tecnociência auxilia a incrementação dos meios de violência. A ciência incrementa o poder humano, porém amplia seus defeitos, ou surge deles, o progresso e o genocídio andam lado a lado. Onde eram necessários pogroms para erradicar uma população local indesejada, um simples apertar de botão ou girar de chave pode realizar o trabalho, a violência de hoje supera e muito o que pensavam os clássicos autores de ficção, e o mais chocante o melhoramento da técnica do assassinato afasta o autor do ato, reduzindo-o a um mero acontecimento burocrático. O pensamento de Arendt vai na contramão, é um pensamento que quebrou os conceitos pré-estabelecidos e engessados no pensamento político sobre o poder e a violência e revitalizou dando um sentido completamente diferente e digno de ser aprofundado.
URI: http://hdl.handle.net/123456789/1002
Appears in Collections:TCC - Bacharelado em Ciências Sociais (Sede)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tcc_joaojoseangeirasalves.pdf1,06 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.